10 coisas que você precisa saber para empreender (a versão não polida dos fatos)

A forma mais justa e honesta, que usei para aprender ao longo dos anos na minha trajetória como empreendedor.

Tempo que você vai levar pra ler: 5 minutos

A forma mais justa e honesta, que usei para aprender ao longo dos anos na minha trajetória como empreendedor, foram conselhos nem ou pouco polidos sobre os bastidores da criação de negócios, conselhos gourmet demais não me serviram de absolutamente nada.


Hoje ao recomendar para uma amiga o incrível vídeo do Guy Kawasaki sobre A Arte do Começo, eu percebi o quanto aqueles ensinamentos honestos me ensinaram quase uma década atrás e o quanto re-assistir aquele vídeo me traz força da sementinha que plantei no meu coração lá atrás. 


Abaixo, complementando os ensinamentos que você venha a descobrir ao assistir o atemporal vídeo do Guy, quero deixar registrado 10 fatos não polidos, sobre o que tem que estar dentro da sua alma, ao você levantar da cama até o momento que você deitar de novo a cabeça no travesseiro, no momento que você decide criar seu próprio negócio. 


E propositalmente não polidos, porque posso te adiantar que a sua jornada será fascinante, mas quer você queira ou quer você não queira, ela será uma montanha russa e você vai aprender, a duras penas inclusive, a criar resiliência e sabedoria com isso.

Essa listagem é pra te ajudar a lidar com as intempéries dentro de você, pois se você lidar com elas, estará automaticamente dando o melhor direcionamento para tudo a sua volta e isso inclui o seu negócio.


1 – Você é único responsável pela exata situação que você se encontra, o quanto dinheiro você tem e tudo aquilo que forma o que você chama de você. Quem fez as escolhas diante de qualquer situação que você vivenciou até hoje foi você e daqui pra frente é exata mesma coisa, pra você e pro seu negócio;


2 – Não é culpa do governo, culpa do ciclano, culpa do seu chefe, culpa do seu sócio, culpa da falta de tempo, não é culpa de nenhuma desculpa que aprendeu a dar pra si e das que o seu subconsciente ainda virá a criar. O ser humano é especialista em tirar de si a responsabilidade, mas ao fazer isso você perde junto, por escolha SUA, a capacidade de resolver o problema;


3 – Você é o especialista no determinado assunto que você se propõe a saber, se algo é complexo demais, ainda bem que você é o especialista pra lidar. Mas ainda sim, mesmo especialista, você vai errar. E quando você errar, pode eventualmente ser ao ponto de colocar tudo abaixo, e é exatamente o chão o responsável por te ensinar as lições mais importantes;


4 – Qualquer coisa que você tenha que fazer, independente da complexidade, não é a coisa mais difícil do universo. Não torne-se a pessoa que aumenta ao infinito a proporção de suas tarefas, ou as enxerga como buracos negros. A forma de olhar pra elas, define o quanto o universo facilitará as coisas ou complicará as coisas pra você, esqueça o mimimi, quem quer alguma coisa vai lá e faz;


5 – Não se desespere com o volume de coisas importantes para serem feitas, aprenda métodos que te ajudem a gerenciar isso. Empresas, em principal em estágio inicial tudo é importante, trata-se muito mais da correta orquestração e priorização das coisas a serem feitas do que a completude delas, para que seu negócio nasça, se mantenha vivo e não morra durante os primeiro meses ou anos;


6 – Se não há como fazer aporte financeiro, o caminho para construção é sem aporte financeiro. Qualquer coisa é possível construir com qualquer valor, só muda a forma de construir, o empenho requisitado do ou dos envolvidos e o tempo necessário. Em palavras não minhas: “A decisão de empreender está ligado a sua decisão de empreender, não a ter ou não dinheiro.”;


7 – Empreendedores de verdade não lamentam a falta de dinheiro, nem justificam o não atingimento de algum objetivo por ela. Eles aprendem a trabalhar sem ele, aprendem a fazer o impossível, eles literalmente passariam fome se precisasse, ao terem a certeza de que aquela situação é temporária;


8 – Da mesma forma não se culpa a falta de pessoas ou se justifica que algo só daria certo com muitas pessoas. Há 24 horas no dia de todo mundo, 16h delas você poderia estar usando para, de múltiplas formas, gastar com trabalho e atividades que possam te ajudar alcançar seus objetivos. Não seja soft, você consegue fazer isso pelo tempo que seu negócio requisitar que isso seja feito. E ao fazer isso, pelo tempo que ele precisa não, NÃO VAI TE MATAR, pelo contrário te dará um vida de tranquilidade e longevidade, pois o outro caminho é não sempre, mas em muitas vezes, 8h por dia de algo que te matará aos poucos e te deixará com sequelas o resto da sua vida, olhe a sua volta, e veja isso com seus próprios olhos;


9 – Ao se achar digno de ter um negócio, não queira jogar pelas regras da CLT. Você não vai ter o que todo mundo tem na idade que você estiver, você não vai passar seus dias fazendo o que todo mundo faz. E você vai seguir sendo anormal e muitas vezes quebrado, até o dia que as pessoas que estranharam ou até criticaram seu comportamento, começam a dizer que você teve sorte. Gosto da frase mais sem frescura do mundo que é: ninguém sabe as marmitas que você comeu, só você;


10 – Já ouviu a história do papel galinha e do porco no café da manhã? A galinha está envolvida, ela coloca os ovos do omelete, já o porco por outro lado está comprometido, é a carne dele que está em jogo. Some comprometimento a consistência, coloque consistência em qualquer coisa boa ou ruim e verá ela te levando pro seu melhor ou pro seu pior. A forma como você vive seus dias é a forma como você vive sua vida;


E por fim não, as pessoas não sabem tudo, repetem comportamentos e acham que sabem. Nem as que parecem muito que sabem das coisas, as vezes essas, são as que sabem menos. Não há jeito certo de fazer as coisas, tudo está uma percepção de distância de ser feito de um jeito melhor.

Só existe o caminho, não há um destino, aprenda valorizar e mais que isso sair do piloto automático e perceber a beleza do caminho.

Você não ganhará troféu nenhum, porque não existe linha de chegada para o empreendedor. É muito mais sobre o desafio que você trava consigo mesmo, para extrair o melhor de si, tanto das derrotas quanto das vitórias, empreender trata-se na última linha de crescer como pessoa.

Descubra as suas próprias verdades, descubra o que funciona pra você, nada do que vemos é o quê de fato é, trata-se apenas da sua percepção das coisas.

E a sua percepção sobre as coisas, tem o poder de criar ou tirar de você a capacidade fazer absolutamente tudo que você colocar na sua cabeça, pois o empreendedor que não sabia que algo era impossível, foi lá e fez.

Se você gostou deste meu artigo, talvez você possa gostar de ver algumas frases que escrevi e que me servem como mantras.

Obrigado por ter dedicado seu tempo para ler até aqui, voe que o mundo é seu!

5 2 votes
Avalie este artigo

Autor: Fernando Matos

Trabalho com engenharia de software e tenho participação em algumas empresas. Sou fundador da Pixele e co-fundador do Krabo. No passado ajudei co-fundar o Mónaco, DriverCo, Go Panda, LiderProfile e Tamanduá Fit. Escrevo para o @lumberjackslife e sou advisor no Leverage Valley.

guest
4 Comentários
Mais antigo
Mais novo Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Louise
Louise
4 meses atrás

Ah Fer! Quanto mais eu vivo, mais eu aprendo com você e mais me surpreende sua maturidade! Te amo e obrigada por tanto!!! Voa que o mundo é seu! 🚀🚀🚀

AMANDA CAROLINA TAMBARA
4 meses atrás

Gostei da ‘citação’ à minha pessoa!
Grande choque de incentivo… Adorei o item 3! Estava precisando para dar continuidade aos projetos 😀