A perspectiva dos introvertidos, um guia rápido para extrovertidos

O mundo é percebido diferente por extrovertidos e introvertidos.

Tempo que você vai levar pra ler: 4 minutos

Há duas formas de perceber o mundo, para conhecer a perspectiva dos introvertidos, gostaria que você fizesse um exercício super simples comigo:

1) Pegue seu celular

2) Abra a câmera e mova pelo ambiente a sua volta como se fosse tirar algumas fotos

Isso que você está vendo, é provavelmente a forma como seu cérebro vê e processa o mundo.

Agora, ainda com a câmera aberta, coloque o zoom no máximo que puder e percorre o ambiente como se fosse tirar as mesmas fotos de antes.

Isso que você está vendo agora, é a forma como meu cérebro e de introvertidos como eu, vê e processa o mundo.

Note que tudo tem muito detalhe, tudo é visto e percebido muito de perto, com uma intensidade muito maior. 

E quando entra em cena os 5 sentidos…

Sobretudo quando estamos falando do cérebro humano, ele não é afetado apenas pelo sentido da visão, mas também por todos os outros 4 sentidos, e sob a mesma premissa, é como se todos os outros 4 sentidos tivessem esse exato mesmo zoom.

Por conta desse funcionamento microscópico dos sentidos, ambientes com:

– Muitas pessoas;
– Repletos de estímulos visuais;
– Carregados estímulos sonoros;
– E muita agitação;

Por exemplo, trarão uma drenagem de energia enorme para um introvertido. 

Para traçar um paralelo que facilite a visualização do efeito causado, um ambiente carregado de múltiplos estímulos e agitação demasiada, para um introvertido, traz a exata sensação de desespero gerada pela falta de ar. Mas neste caso, é como se tivéssemos uma sensação de falta de ar no cérebro.

As pessoas mais quietas são as que possuem as mentes mais barulhentas.

Stephen Hawking

A maioria das pessoas no mundo são extrovertidas, e com uma maioria extrovertida, o mundo e a sociedade que conhecemos foi moldada por e para extrovertidos. 

Tudo que você e eu conhecemos hoje, como por exemplo:

– Escolas;
– Universidades;
– Marketing;
– Redes sociais;
– Eventos;
– Escritórios;
– Esportes;
– E eu poderia citar mais uma centena…

Geralmente traz uma combinação de:

– Infinitos estímulos sensoriais de todos os tipos;
– Agitação e barulho;
– Muitas pessoas;
– Esforços feitos em grupos;
– Incentivo a conexões, relacionamentos e compartilhamento;

E é nesse exato mesmo mundo que vivem os introvertidos, definitivamente desajustados ao contexto e muitas vezes confundidos aos olhos de extrovertidos.

E não por acaso, pois a própria definição no dicionário como sendo sinônimo de timidez e retraimento, vem guiando o mundo por séculos, fazendo com que introvertidos sejam confundidos com, por exemplo:

– Pessoas tímidas;
– Anti-sociais;
– Retraídas;
– Inadequados socialmente;

Embora essas possam sim, serem características às vezes presentes em introvertidos, não são de forma alguma determinantes. E muito pelo contrário, um introvertido pode guardar zero relação com esses traços e na maioria dos casos é exatamente isso.

A analogia com uma bateria e o efeito gerado nos introvertidos

Se fizermos uma analogia do ser humano a uma bateria que inicia o dia com 100%, um introvertido conseguiria passar 10 horas trabalhando e sua energia cairia de 100% para 95%. 

No entanto, envolto a ambientes de múltiplos estímulos de todos os tipos, conversas o tempo todo com pessoas, barulhos e agitação, essa mesma bateria em questão de 1h, pode chegar a ir de 100% para 5%. 

Acima de tudo nós introvertidos alcançamos o máximo do nosso bem estar, tranquilidade e potencial criativo sozinhos. Nós atingimos o nosso mais alto grau de satisfação e plenitude quando estamos dentro da nossa própria cabeça, em nosso próprio espaço.

O desejo dos introvertidos por solitude, é mais do que uma simples preferência. É crucial para sua saúde e sua felicidade.

Michaela Chung

Adoramos também conversar, rir, sermos chamados para eventos sociais de todos os tipos e fazer tudo que todos gostam.

No entanto, como esses ambientes e interações drenam a nossa energia muito mais rápido do que dos extrovertidos, é como se precisássemos dar uma carga extra em nossa bateria, antes de estarmos nessas situações.

Em outras palavras, introvertidos tem dificuldade de concentrar-se em ambientes agitados, ter muitas conversas todos os dias, compartilhar coisas todos os dias, ir a festas todos os finais de semana. Justamente pois se assim fosse, não haveria tempo hábil para recuperar nossa energia da forma como um introvertido se recarrega, o exato oposto de como um extrovertido se recarrega.

Um extrovertido para recarregar suas as energias, precisa:

– Desconectar-se do trabalho;
– Conectar-se com amigos;
– Ir a festas;  
– Jogar conversa fora;

Já os introvertidos para recarregar as energias, precisa:

– Passar tempo sozinho;
– Ficar em silêncio;
– Praticar suas habilidades;
– Trabalhar em seus projetos;
– Criar e estimular sua criatividade sozinho;

Introvertidos podem aprender muito com extrovertidos e da mesma forma o inverso é igualmente verdadeiro. Ambas personalidades trazem ao mundo muita coisa incrível quando estão em seus ambientes de maior potencial.

Por fim, espero que este guia possa ajudar extrovertidos a entenderem melhor os introvertidos e estes por sua vez entenderem melhor a si próprios.

E mais importante ainda, que o mundo e introvertidos entendam que não há nada de errado com a introversão. Introvertidos não tem que se desculpar e a introversão é na verdade, um super poder que vem sem manual de instruções. 

Não há muita informação sobre introversão abordada da perspectiva correta, as informações que escrevi aqui são uma combinação daquilo que eu aprendi sobre mim mesmo e também de muitos conteúdos que consumi ao longo dos anos sobre esse tema.

A melhor autora que achei sobre esse tema até hoje foi Susan Cain. Se você é ou tem um amigo introvertido, você e ele precisam assistir o TEDx dela https://www.youtube.com/watch?v=c0KYU2j0TM4

Muito obrigado pelo tempo que você dedicou aqui pra ler sobre os introvertidos.

Se você gostou dessa reflexão, você pode encontrar minhas outras reflexões de demais assuntos da vida na categoria Think aqui do blog.

5 1 vote
Avalie este artigo

Autor: Fernando Matos

Trabalho com engenharia de software e tenho participação em algumas empresas. Sou fundador da Pixele e co-fundador do Krabo. No passado ajudei co-fundar o Mónaco, DriverCo, Go Panda, LiderProfile e Tamanduá Fit. Escrevo para o @lumberjackslife e sou advisor no Leverage Valley.

guest
5 Comentários
Mais antigo
Mais novo Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Louise
Louise
7 meses atrás

Te amo e obrigada por me ajudar a te entender melhor! Aprendo todos os dias com você!

Monique Mello
Monique Mello
6 meses atrás

Uma descrição completa e satisfatoria pra entender melhor e conviver com pessoas introvertidas! Como sempre, aprendo muito com você!

Dulce
Dulce
6 meses atrás

Muito legal filho, obrigado por compartilhar tudo isso com as pessoas.